Sobre jogos e violência

A REBEL solidariza-se com as vítimas do crime violento ocorrido em Suzano em março de 2019. Infelizmente, mais uma vez os jogos aparecem como bode expiatório em um caso complexo, por isso a REBEL oferece sua resposta, visando esclarecer a posição da comunidade diante da recorrente associação entre o consumo de jogos e o comportamento violento.
Para quem busca esclarecimentos sobre tal correlação, pesquisas científicas têm mostrado falsa a alegação de que a prática de jogos com temática violenta tenha impacto relevante no comportamento. Recente pesquisa de Oxford com milhares de adolescentes mostra que essa relação não se sustenta (https://royalsocietypublishing.org/doi/10.1098/rsos.171474).
Para mais desmistificação a respeito dos jogos, o artigo “Videogame faz mal para o cérebro?” (RIVERO et al.), incluído no livro “Caçadores de Neuromitos: desvendando os mistérios do cérebro” (https://www.larissazeggio.com/product-page/livro-ca%C3%A7adores-de-neuromitos-volume-2), apresenta em linguagem acessível muito da pesquisa científica sobre cérebro e jogos eletrônicos.
Com isso, a REBEL pretende fortalecer a cultura lúdica diante de ameaças políticas como o projeto de lei 1577/2019 (https://forms.camara.leg.br/ex/enquetes/2194477), iniciativas muitas vezes sem embasamento científico e desviando o foco de fatores mais importantes de impacto na violência, como a disponibilidade de armas de fogo e a cultura agressiva na vida real.

—-

Manifesto REBEL – Violência nos Jogos

NOTA DA DIRETORIA DA REDE BRASILEIRA DE ESTUDOS LÚDICOS – 14 DE MARÇO DE 2019

 

A diretoria da Rede Brasileira de Estudos Lúdicos apresenta, por meio desta nota, seu repúdio à associação entre jogos eletrônicos e comportamento violento. Em voga nos meios de comunicação e nas redes sociais de políticos menos esclarecidos, a opção de identificar o jogo como bode expiatório é um desvio de problemas sérios relacionados a criminalidade e cultura.

Sem prejuízo das pesquisas sérias que visam identificar bons e maus potenciais dos jogos em geral, o que a REBEL quer combater é uma mistificação que simplifica problemas multifacetados. Não surpreende que existam criminosos que joguem, afinal os usuários de jogos eletrônicos no Brasil são mais de 75 milhões (Newzoo, 2018). Muitos fatores pessoais e sociais afetam o comportamento dos indivíduos. Se a culpa do comportamento violento for mesmo de algum artefato cultural, então é preciso lembrar que a cultura da violência está presente num ambiente muito mais abrangente: filmes, literatura, telenovelas, trânsito, redes sociais são terreno em que historicamente se cultiva o conflito.

A disponibilidade de armas de fogo é uma condição e a cultura belicista em que estamos inseridos é um incentivo à resolução trágica de questões pessoais, seja por entusiastas dos jogos, maridos ciumentos, justiceiros etc.

O jogo ensina a encarar o outro como adversário ou parceiro, não inimigo. A REBEL defende regras melhores para o jogo da vida. Reações irracionais às tragédias do cotidiano podem ser péssimas jogadas.

Assinam os quatro diretores da Rede Brasileira de Estudos Lúdicos:

Ernane Guimarães Neto, presidente

Mário Madureira Fontes, vice-presidente

Pá Falcão, secretária

Ubiratan Motta, tesoureiro

 

São Paulo, 14 de março de 2019

 

 

GAMESCOM

GAMESCOM

Os organizadores anunciam a edição dessa grande feira comercial de 2017 como “o coração do jogo”.  Feira líder voltada para a cultura de jogos digitais, empresas multinacionais da indústria do entretenimento e a comunidade internacional de jogadores.

Acontecendo em Colônia, na Alemanha, a GAMESCOM reúne milhares de pessoas e já tem mais de 42.000 ingressos vendidos com 3 meses de antecedência.
Também o evento DEVCOM  acontece dentro do GAMESCOM.
De 22 a 26 de agosto de 2017, Colônia se torna “the heart of the game”.

PlayX4

PlayX4

Desde 2009, ano de sua 1a edição, o PlayX4, que acontece na Coreia do Sul, vem crescendo e se afirmando como espaço de jogos digitais e este ano, 2017, o foco é a realidade virtual como se viê já na comunicação do evento.

Os números são animadores, principalmente para a indústria. Confira abaixo na tabela segundo as indicações.
Número de empresas participantes
Número de visitantes
Resultado da exportação (unidade USD 10.000)

GDC – Game Development Conference

GDC – Game Development Conference

Uma das conferências mais completas do planeta, a GDC contribui para a formação do mercado de desenvolvimento de games através de palestras, tutoriais, mesas redondas, premiação e um networking consistente já que grandes nomes dessa industria se reúnem por três dias para aprender, ensinar e se conectar.

“O GDC atrai mais de 26.000 participantes e é o principal fórum onde programadores, artistas, produtores, designers de jogos, profissionais de áudio, tomadores de decisão de negócios e outros envolvidos no desenvolvimento de jogos interativos e realidade virtual se reúnem para trocar idéias e moldar o futuro do indústria. O GDC é produzido pela UBM Game Network.”

IGF – Independent Game Festival

IGF – Independent Game Festival

Criado em 1998, o IGF, Independent Game Festival busca fomentar a inovação no desenvolvimento e os melhores desenvolvedores de jogos independentes.

Com conferências, palestras e premiações este festival indie acontece juntamente com o GDC, Game Developers Conference em São Francisco e atrai cerca de 26 mil visitantes, sendo um dos maiores eventos voltados para desenvolvedores de jogos.

 

Conferência Tecnológica de GPU

Conferência Tecnológica de GPU

Reunindo desenvolvedores de placas de vídeo no Vale do Silício, a GPU Technology Conference baseia-se em quatro áreas:

  • Aprendizado
  • Inovação
  • Conexão
  • Descoberta

 

“O GTC é o maior e mais importante evento do ano para desenvolvedores de GPUs.
GTC – GPU Tecnology Conference, é a série global de eventos que oferece treinamento valioso e uma vitrine do trabalho mais importante na indústria de computação hoje – incluindo inteligência artificial e [deep learning] aprendizagem profunda, tecnologia em saúde, realidade virtual, análise acelerada e carros autônomos.”

Com sua 1a edição em 2009, o evento recebe mais de 4000 participantes desde 2015 e é bastante aguardado por desenvolvedores e gamers ligados nas tecnologias disruptivas e novidades impactantes.

BGS – Brasil Game Show

BGS – Brasil Game Show

Em sua 10a edição, a Brasil Game Show chega em 2017 como a maior feira de games da América Latina. Com campeonato de jogos, atrações internacionais, palestras, talks e uma infinidade de games, o evento atrai público variado. São crianças, jovens e adultos todos com uma característica em comum: a paixão por jogos.

“O evento reúne as principais empresas do setor, que apresentam as novidades do mercado de PC, console, mobile, realidade virtual (VR), card games e jogos de tabuleiro. Além disso, na BGS os visitantes podem conferir alguns dos maiores lançamentos em jogos, ou seja, games que ainda nem foram lançados no mercado e que podem ser conferidos e testados no evento.”

A BGS acontece entre 11 e 15 de outubro deste ano, 2017, no Expo Center Norte na cidade de São Paulo.

GamesBeat

GamesBeat

O GamesBeat é um evento voltado para o mercado que acontece na Califórnia no qual só participam convidados e promete a reunião de grandes líderes seniors da indústria.

“Vídeo games, ficção científica e tecnologia do mundo real estão num ciclo de inspiração acelerada e não mostram sinais de desaceleração. Essa tendência cria grandes oportunidade para todos no ecossistema e convidamos você a se juntar a nós para aprender mais, conectar-se com seus peers e fazer negócios.”

Os tópicos do evento em 2017 são:

  • Intersecção de sci-fi, jogos e tecnologia
  • Criando uma cultura de inspiração e criatividade
  • Monetização: Como adquirir e manter sua base de usuários
  • Ofertas: siga o dinheiro
  • Esportes e construção de comunidade
  • Mercados emergentes para jogos
  • Plataformas: Onde colocar suas apostas? VR, AR e mais
  • Diversidade e ecossistema em expansão

Organizado pela VentureBeats, esse é um dos eventos dessa empresa dedicada à tecnologia, game e mercado.

Confira o que rolou em 2016:

A MAZE.

A MAZE.

Com a proposta de reunir e premiar vídeo games independentes e alternativos o evento A MAZE. acontece na capital alemã desde 2008.
A MAZE. acontece por meio de eventos interdisciplinares sempre baseados em jogos: festivais, exposições, conferências, oficinas, game jams, residências artísticas e uma revista.


O evento também acontece em outros países como Croácia, Paelstina, Romênia, Rússia e África do Sul.
A seguir, o vídeo sobre o último evento em Berlim.

GX Austrália

GX Austrália

O GX Australia é o primeiro evento queer-geek a ser realizado fora dos EUA, onde o evento GaymerX acontece há 5 anos.
A campanha para levantar fundos e realizar o 1o evento na Austrália foi um sucesso, com objetivo de alcançar AU$ 60mil dólares australianos, os produtores conseguiram AU$ 71mil.

Com foco no público LGBT, apoiado na bandeira de evento mais inclusivo e com uma boa grade de palestrantes o evento promete  atrair uma grande diversidade de público.
O evento evidencia positivamente que a questão de gênero nunca foi levantada e discutida de forma tão natural, aberta e oficial como nos dias de hoje.

“Nossos convidados são veteranos da indústria, mestres de cosplay e criativos talentosos a participar de painéis e discussões.”